Lucro do Banco do Nordeste cresceu 173% no primeiro semestre

O patrimônio líquido do banco também cresceu de R$ 2,18 bilhões, no final de 2010, para R$ 2,3 bilhões

Brasília – O Banco do Nordeste (BNB) publicou hoje (11) o balanço patrimonial do primeiro semestre de 2011, que registra lucro de R$ 300,7 milhões, equivalente a um aumento de 173% em relação aos R$ 110,1 milhões contabilizados em igual período do ano passado. O patrimônio líquido do banco também cresceu de R$ 2,18 bilhões, no final de 2010, para R$ 2,3 bilhões.

De acordo com o presidente do BNB, Jurandir Santiago, “o crescimento denota o fortalecimento em todas as áreas em que a instituição atua e, principalmente, demonstra uma gestão focada nos resultados, garantindo, cada vez mais, que o banco atue como principal agente de fomento do governo federal na Região Nordeste”.

De acordo com o balanço, as contratações globais do BNB cresceram 12,4% na comparação semestral, incluindo operações no mercado de capitais e desembolsos do Fundo de Desenvolvimento do Nordeste. O aumento cai para 11,5% quando se considera apenas as mais de 1,5 milhão de operações de crédito, no total de R$ 9,1 bilhões.

Os créditos para micro e pequenas empresas cresceram 25,2% e alcançaram R$ 1,2 bilhão no final do semestre. Por ser um setor estratégico para o desenvolvimento regional, Jurandir Santiago manifestou intenção de direcionar as ações do BNB cada vez mais para os pequenos empresários, pois “eles geram mais emprego e renda, e precisam ser desenvolvidos para proporcionar inclusão produtiva”.

O balanço também mostra que o programa de microcrédito urbano fechou mais de 1 milhão de operações e desembolsou R$ 1,3 bilhão no período, o que representa crescimento de 41,1%. Já a linha que atende a agricultores familiares com renda anual inferior a R$ 6 mil cresceu 21,6%. O BNB registrou, ainda, expansão de 9,5% nos financiamentos com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE), no valor de R$ 4,5 bilhões.