Liquidez está garantida apesar de decisão do BCE, diz Grécia

Porta-voz do governo, Gavriil Sakelaridis, disse que "não há motivo de preocupação" e que se trata de uma "pressão política" por parte do Banco Central Europeu

Atenas – O governo da Grécia disse nesta quinta-feira que a liquidez bancária está garantida apesar da decisão do Banco Central Europeu (BCE) de deixar de aceitar os bônus gregos como garantia em suas operações de refinanciamento.

O porta-voz do governo, Gavriil Sakelaridis, afirmou que “não há motivo de preocupação” e que se trata de uma “pressão política” por parte do BCE dentro do processo de negociação da Grécia com seus sócios.

“Não chantageamos mas também não deixamos que nos chantageiem”, disse Sakelaridis em entrevista à televisão privada “Mega”.

O Ministério das Finanças afirmou que a decisão do BCE não é produto de uma “evolução negativa no setor financeiro” e ocorre “após dois dias de estabilização substancial”.

O ministério ressaltou que o sistema bancário se manterá adequadamente capitalizado e completamente protegido através do programa urgente de assistência à liquidez (ELA).

“Esta decisão põe pressão sobre o Eurogrupo para proceder rapidamente a conclusão de um novo acordo que seja em benefício mútuo para a Grécia e seus sócios”, disse o ministério em um comunicado.

A nota acrescentou que o governo “amplia diariamente” o círculo de parceiros e instituições com os quais mantém consultas e “permanece firme em sua meta de aplicar o programa de salvação social, aprovado pelo voto do povo grego”.

A não exigência de requerimentos mínimos que estava em vigor até ontem permitia aos bancos utilizar bônus gregos nas operações de política monetária do BCE, apesar deles não cumprirem os requerimentos mínimos de qualificação de crédito porque a Grécia faz parte de um programa de resgate.

Como agora não está claro se a Grécia vai participar de um novo programa de resgate europeu, o BCE deixou de aceitar os bônus gregos como garantia em suas operações de refinanciamento.

Os bônus gregos deixarão de ser aceitos como avais para refinanciamento em 11 de fevereiro, quando vence o atual leilão semanal do BCE.

Os países da zona do euro preveem realizar em 11 de fevereiro uma reunião extraordinária do Eurogrupo sobre a Grécia.

Fontes do Banco da Grécia ressaltaram que não há nenhum problema de liquidez nos bancos do país, pois eles podem seguir se financiando através do ELA.