Leilão de energia A-5 terá oferta de 1.115 unidades

O leilão estava programado inicialmente para ocorrer no final de setembro, porém o governo federal decidiu postergá-lo

São Paulo – A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) informou nesta quinta-feira, 18, que mais 74 projetos foram cadastrados no Leilão de Energia Elétrica A-5, após a decisão da EPE de adiar o prazo de cadastramento.

Juntos, esses projetos adicionam oferta superior a 3.000 MW. O leilão deverá ocorrer no dia 28 de novembro.

Foram cadastrados, após a conclusão do novo prazo, 1.115 empreendimentos, os quais possuem capacidade instalada de 53.869 MW. As termelétricas a gás natural lideram o ranking, com a oferta de 20.607 MW em 39 projetos.

Na sequência aparece a energia eólica, com potência de 18.760 MW em 763 projetos. Projetos fotovoltaicos ofertarão 6.068 MW a partir de 224 usinas.

Há ainda 10 termelétricas a carvão, com capacidade de 4.490 MW.

O levantamento da EPE mostra também termelétricas a biomassa, com 1.917 MW em 32 usinas; os projetos hidrelétricos, com 1.261 MW em nove usinas; as pequenas centrais hidrelétricas (PCHs), com 30 projetos e 526 MW de capacidade; e os projetos heliotérmicos, com 240 MW em oito empreendimentos.

O leilão A-5 estava programado inicialmente para ocorrer no final de setembro, porém o governo federal decidiu postergá-lo na expectativa de que fossem cadastradas as usinas Itaocara I, Apertados e Ercilândia.

A EPE não informou hoje se os três projetos aparecem entre aqueles cadastrados.

Todos os empreendimentos cadastrados ainda passam por uma fase de habilitação.