Juncker diz que gostaria que UE tivesse nota triplo A social

Presidente eleito da Comissão Europeia disse que gostaria que a União Europeia tivesse nota "triplo A social", em discurso no parlamento Europeu

Estrasburgo – O presidente eleito da Comissão Europeia (CE), Jean-Claude Juncker, disse nesta quarta-feira que gostaria que a Europa tivesse nota “triplo A social”, em seu discurso no parlamento Europeu (PE), cujos membros votarão hoje sobre o conjunto do futuro colégio de comissários.

“Quero que a União Europeia (UE) tenha triplo A social. É tão importante como a (nota) econômica e a financeira”, assinalou Juncker, em referência à máxima nota possível da qualificação do risco da dívida.

Juncker falou sobre o “ambicioso pacote de investimentos”, de 300 bilhões de euros em investimento público e privado na economia real que pretende anunciar “antes do natal”.

“A Europa está vivendo uma seca de investimentos que não tem comparação. As economias que não investem não podem crescer nem criar emprego”, afirmou para os eurodeputados.

Juncker advertiu que este programa de investimentos “não pode ser financiado com mais dívida” e pediu que os “dirigentes da economia privada europeia assumam sua responsabilidade de investimento”.

“Precisamos de mais fluxos de investimento para sair desta estagnação”, apontou.

O ex-primeiro-ministro de Luxemburgo insistiu que “o principal desafio para a UE é acabar com o desemprego, especialmente entre os jovens, escandalosamente caro”.

Juncker afirmou que as regras do pacto de estabilidade “continuam vigentes” e foi taxativo ao dizer que a UE não poderá se recuperar da crise “só com endividamento ou só com austeridade”.

“Sem flexibilidade não podemos encarar o futuro”, disse o ex-presidente do Eurogrupo.