Investidores estão “super animados” com o país, diz Guedes em Davos

Ele disse não ter "um segundo de calma" no evento, nem para comer: "Estou só na base do sanduíche."

São Paulo — O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou na manhã desta quarta-feira (23) que os investidores estão “super animados” com o país.

Em conversa com jornalistas no Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, ele disse que “todo mundo está ligado na reforma da Previdência” devido a sua importância para a sustentabilidade fiscal.

O ministro afirmou que a proposta deve ser enviada pouco após a volta do Congresso Nacional, no dia 05 de fevereiro, e que está muito otimista com a aprovação.

Ele disse não ter “um segundo de calma” no evento nem para comer: “Estou só na base do sanduíche.”

Agenda

Guedes teve no seu primeiro dia em Davos encontros com o presidente do conselho da indústria química e de plásticos Lyondell Basell NV, Jacques Algrain, e com o presidente da empresa de energia espanhola Iberdrola, José Ignacio Sánchez Galán.

Ele também participou de um almoço privado promovido pelo banco Itaú, foi a um encontro de 15 minutos com o fundador do Fórum, Klaus Schwab, e acompanhou o discurso de Bolsonaro.

Ele também encontrou-se com a ministra do Comércio Exterior e Cooperação Internacional dos Países Baixos, Sigrid Kaag, participou de encontro do Conselho Internacional de Negócios, se reuniu com o ministro da Economia de Israel, Eli Cohen, e, sem seguida, foi a um jantar de negócios.

Segundo o Ministério, Guedes tem informado em encontros que sua equipe trabalha numa agenda com quatro pilares: reforma da Previdência, privatizações, reforma administrativa e abertura comercial.

Nesta terça-feira, ele dará uma coletiva às 13 horas (horário de Brasília) junto com Bolsonaro e Sérgio Moro, e depois terá encontros com o CEO do Uber e depois com o CEO da General Atlantic.

OMC

Roberto Azevêdo, presidente da Organização Mundial do Comércio (OMC), também conversou hoje com jornalistas após reunião bilateral com Guedes. Eles conversaram sobre a recepção ao novo governo.

“Há um longo percurso a ser percorrido em implementação, mas a linha geral das ideias, objetivos e metas foi bem apresentada e pelo que eu tenho ouvido aqui, foi bem recebida por empresários e investidores. É um bom pontapé inicial”, disse ele.

No seu discurso de ontem, o presidente Jair Bolsonaro falou em fazer “defesa ativa da reforma da OMC, com a finalidade de eliminar práticas desleais de comércio e garantir segurança jurídica das trocas comerciais internacionais.”

Azevêdo disse que o processo está incipiente mas que a participação de todos os países é bem-vinda e que na sexta-feira haverá uma reunião de ministros sobre o tema.

Perguntado por uma jornalista sobre uma declaração antiga no próprio Fórum sobre o “elefante na sala” do comércio internacional, em referência aos Estados Unidos, ele brincou que “na sala do comércio internacional tem muitos elefantes”.

Depois, completou que “os cristais estão bem, estão se segurando ainda. De vez em quando rompe um ou outro, mas vamos repondo”.

(Com Estadão Conteúdo)