Intenção de consumo no Sudeste cai 30% em relação a junho

De acordo com a pesquisa, enquanto o indicador nacional chega a 91,7 pontos, no Sudeste ele é 79,9

Rio de Janeiro – A Região Sudeste teve a mais intensa queda na Intenção de Consumo das Famílias em junho na comparação com o ano passado, divulgou hoje (18) a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Enquanto a queda nacional chegou a 23,8%, no Sudeste, a retração foi 29,9%.

De acordo com a pesquisa, enquanto o indicador nacional chega a 91,7 pontos, no Sudeste ele é 79,9. Nenhuma outra região brasileira está abaixo de 90 pontos.

O Nordeste (109,5) e o Centro-Oeste (100,7) são as únicas com resultados considerados na “zona positiva”, por estarem acima dos 100 pontos.

O Sul teve uma queda de 20,9% na comparação com o ano passado e chegou a 96 pontos, e o Norte, de 20,6%, que o levou a 94,9 pontos. Apesar de continuar na zona positiva, o Nordeste caiu 18,9%, e o Centro-Oeste, 15%.

Assim como nos números nacionais, o momento para aquisição de bens duráveis foi o indicador que mais caiu no Sudeste, com queda de 44,1% em relação ao ano anterior e de 9,2% na comparação a maio.

O indicador que mede as perspectivas de consumo caiu 40,5% na comparação com junho do ano passado, e o nível de consumo atual, 36,2%. O acesso ao crédito foi outro indicador com queda de mais de 30%, com -36,9%.

Os habitantes do Sudeste também são os que manifestaram maior preocupação com a segurança do emprego atual, com uma queda de 16,5% no indicador, enquanto os demais não passaram de 10%.

O indicador que mede a renda atual também teve a maior queda no Sudeste, com 27,1%, enquanto nacionalmente o recuo foi 19,3%.