Inflação teve comportamento atípico durante Copa, diz IBGE

Em junho, o Mundial elevou preços das passagens aéreas e hotéis, mas aumentos foram parcialmente devolvidos em julho

Rio – A inflação dos meses de junho e julho apresentou comportamento atípico devido à influência da Copa do Mundo, segundo Eulina Nunes dos Santos, coordenadora de Índices de Preços do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). “Isso acontece em todos os países onde há Copa do Mundo“, apontou Eulina.

Em junho, o Mundial de Futebol elevou, principalmente, os preços das passagens aéreas e hotéis. Segundo Eulina, as tarifas chegaram a triplicar nos dias de realização das partidas nas cidades sede. Os aumentos foram parcialmente devolvidos em julho. As tarifas aéreas caíram 26,86%, após terem subido 21,95% em junho. Já os hotéis recuaram agora apenas 7,65%, depois do aumento de 25,33% no mês anterior.

“A gente esteve olhando os resultados. Na África do Sul, os hotéis voltaram (aos preços antigos) muito mais rapidamente do que os nossos voltaram. Talvez até por conta da Olimpíada que está vindo aí. Ou pode ser que não tenha caído muito nesse mês, mas caia no próximo”, ponderou Eulina. Outra influência da Copa do Mundo deu-se sobre a atividade de vestuário. Os preços caíram 0,24% em julho.

“O comércio considerou que as vendas foram muito fracas, principalmente em função da Copa. As promoções começaram um pouco mais cedo do que começariam. Mal os artigos de inverno entraram no mercado, o comercio já começou a promover preços mais baixos”, apontou a coordenadora do IBGE.

Outro impacto também foi sentido no grupo Artigos de Residência, cuja alta de 0,86% em julho foi puxada pelo aumento nos preços de eletrodomésticos (1,83%) e artigos de mobiliário (0,74%). “Houve aumento na procura por eletrodomésticos no período da Copa, até por parte dos hotéis”, contou Eulina.