Inflação na zona do euro permanece em níveis baixos

Queda dos preços de alimentos e telefonia compensou os custos mais caros de tabaco e restaurantes, BCE chama nível de "zona de perigo"

Bruxelas – A inflação na zona do euro permaneceu em nível baixo como esperado em junho, no que o Banco Central Europeu (BCE) chama de “zona de perigo”, uma vez que a queda dos preços de alimentos e telefonia compensou os custos mais caros de tabaco e restaurantes.

Os preços aos consumidores nos 18 países que usam o euro avançaram 0,1 por cento em junho na comparação mensal e subiram 0,5 por cento na base anual, mesma taxa anual de maio, de acordo com dados da agência de estatísticas da União Europeia, Eurostat nesta quinta-feira.

A taxa anual está bem abaixo da meta de inflação do BCE de perto mas abaixo de 2 por cento. O banco central acredita que o aumento dos preços mais lento que 1 por cento é uma “zona de perigo” por causa do risco de deflação. O aumento dos preços tem ficado abaixo de 1 por cento desde outubro passado.

O BCE manteve as taxas de juros em julho, um mês depois de cortá-las para mínimas recordes e deixar a taxa de depósito em território negativo, afirmando que está pronto para imprimir dinheiro no futuro se necessário para impedir a deflação.