Inflação e desemprego; Lew no Brasil…

Na semana

– A Associação das Indústrias de Segurança e do Mercado Financeiro dá início à conferência anual de mercado de capitais em Washington. Um dos participantes é o presidente da rede social Twitter, Jack Dorsey. Na semana passada, surgiram notícias de que o Twitter estaria à venda, depois de passar os últimos anos em uma luta para apresentar boas margens operacionais e aumentar a base de usuários.

– O congresso americano tem até sexta-feira para passar uma nova lei orçamentária, caso não queira paralisar o governo. Durante a gestão de Barack Obama, o fato aconteceu em 2013 quando republicanos queriam atrasar um projeto de mudança no sistema de saúde, conhecido como Obamacare.

Terça-feira 27

– O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Jack Lew, chega ao Brasil, como parte de uma viagem para a América Latina. Lew também passa por Argentina, Colômbia e México. Durante rápida estada de apenas um dia, ele deve se encontrar com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, em Brasília. Passada a crise política dos últimos meses no Brasil, ambos os países têm interesse em reaquecer as relações bilaterais, principalmente o comércio.

– O agência de classificação de riscos Moody’s realiza sua conferência anual para a América Latina, em São Paulo. Os principais temas do encontro são o panorama corporativo no continente, as classificações de risco de países e as tendências de crédito na América Latina.

– A fabricante de produtos esportivos Nike divulga os resultados do trimestre encerrado em agosto. Analistas esperam que o faturamento venha na casa dos 8,8 bilhões de dólares, 5% maior do que o do mesmo período do ano passado e o melhor trimestre dos últimos dois anos. No trimestre passado a companhia bateu as expectativas dos analistas pela 16ª vez consecutiva.

– A Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) divulga o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), um dos medidores da inflação. Em agosto, a alta no índice já foi de 0,11%, menor alta do que em julho (0,35%). Analistas esperam que desta vez o IPC encolha 0,01%. Os últimos medidores de inflação corroboram a previsão, inclusive com uma deflação no preço recente dos alimentos.

– A Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulga os dados de confiança do consumidor e o Banco Central traz o relatório da inflação dos últimos três meses.

Quarta-feira 28

– A demanda por bens de consumo duráveis é esperada para cair nos Estados Unidos em agosto pela terceira vez em quatro meses, o que aponta para uma persistência do enfraquecimento da indústria fabril no país. Os dados serão divulgados pelo departamento de Comércio.

– O presidente do Banco Central Europeu, Mario Draghi, discute a política monetária da Zona do Euro com legisladores alemães em Berlim. A reunião acontece a portas fechadas. Depois, é esperado um anúncio à imprensa.

Quinta-feira 29

– Os Estados Unidos divulgam a terceira estimativa do PIB do segundo trimestre revisado. É esperado que nesta revisão a economia do país tenha crescido 1,3% frente ao 1,1% anunciado anteriormente.

– A fabricante de bens de consumo PepsiCo divulga relatório trimestral. Embora os volumes vendidos tenham crescido 3% no último trimestre, o faturamento caiu 3,3%. No mesmo trimestre do ano passado, as vendas caíram 5% e o lucro operacional foi 50% menor.

– Nos dados de inflação, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulga o IGP-M, um medidor de inflação que atua sobre títulos do tesouro direto e contratos de locação. É esperado um aumento de 0,23% em relação aos 0,15% no mês anterior, mas uma diminuição do índice se comparado a setembro do ano passado, de 11,49% para 10,71%.

Sexta-feira 30

– O ministério da Fazenda divulga o déficit primário oficial. É esperado que o déficit do ano que vem seja de 170 bilhões de reais. O ministro Henrique Meirelles já disse que o país só deverá a ter um superávit em 2019.

– O IBGE divulga o relatório oficial de desemprego, a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad). No mês passado, a taxa de desemprego segundo a Pnad atingiu 11,3%, ou quase 12 milhões de brasileiros.

– A China divulga os dados da produção industrial de setembro (PMI). No mês passado, os dados haviam encolhido juntamente com a inflação do país, o que apontava para uma possível desacelaração da economia chinesa. É esperado que o PMI de setembro venha 0,1 ponto maior, em 50,5.