Inflação da construção civil encerra o ano em 5,65%

Índice relativo aos gastos com a construção no país encerrou o ano em um valor inferior ao acumulado em 2010, de 7,36%

Rio de Janeiro – A inflação medida pelo Índice Nacional da Construção Civil fechou dezembro em 0,12%, abaixo da taxa do mês anterior (0,37%). O índice também é inferior à variação de 0,26% registrada em dezembro de 2010. Com o resultado, o índice relativo aos gastos com a construção no país encerrou o ano com alta acumulada de 5,65%, inferior ao acumulado um ano antes (7,36%).

De acordo com dados divulgados hoje (6) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2011 os materiais subiram 2,64%, menos do que o verificado no ano anterior (5,24%). A parcela referente à mão de obra também subiu com menos força do que em 2010 e acumulou elevação de 9,60%. Um ano antes, o acumulado estava em 10,24%.

O custo nacional da construção por metro quadrado atingiu em dezembro R$ 809,65, sendo R$ 446,35 relativos aos materiais e R$ 363,30 à mão de obra. Em novembro, havia ficado em R$ 808,65.

Entre as regiões, a Sul se destacou por apresentar a maior alta no custo (0,18%) em dezembro. A Centro-Oeste apresentou a maior variação acumulada no ano (8,06%). Por unidades federativas, o Distrito Federal liderou o aumento do custo da construção em 2011, com alta de 9,35%, seguido pelo Maranhão, com 9,33%. Já a menor variação anual ficou com Minas Gerais (1,28%).

O Índice Nacional da Construção Civil é calculado pelo IBGE mensalmente em convênio com a Caixa Econômica Federal, com base nos dados do Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (Sinapi). Ele serve como referência para delimitar os custos de execução de obras públicas.