Índice de serviços desacelera a 0,72% em fevereiro, diz Fipe

Entre os grupos que compõem o IGS, Despesas Pessoais apresentou a maior variação em fevereiro (de 1,04% ante 1,24%)

São Paulo – O Índice Geral de Serviços (IGS) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) diminuiu o ritmo de alta entre o fechamento de janeiro e o encerramento de fevereiro, de 1,06% para 0,72%, é o que mostra pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

Apesar da desaceleração, o IGS foi pressionado principalmente pela elevação de 0,81% de energia elétrica, de 4,92% em passagem aérea e de 0,81% em contrato de assistência médica, disse o economista e coordenador do IGS e do Índice de Preços ao Consumidor (IPC), Rafael Costa Lima.

Entre os grupos que compõem o IGS, Despesas Pessoais apresentou a maior variação em fevereiro (de 1,04% ante 1,24%).

Na sequência aparecem Habitação, com elevação de 0,76%, após 0,49%, e Saúde (de 0,75% ante 0,35%). Depois, vem Alimentação (de 0,65% ante 0,06%), Transportes (de 0,56% ante 0,69%) e Educação (0,47% ante 7,48%).

Mais uma vez, a inflação do IGS (0,72%) ficou acima da alta de 0,52% registrada no IPC-Fipe, que mede os preços na cidade de São Paulo.

Este ano, o IGS acumula alta de 1,79% e de 3,97% em 12 meses até fevereiro. Já o aumento do IPC em 2014 é de 1,46%. No acumulado em 12 meses até fevereiro, a elevação do IPC é de 3,97%.