Índice Big Mac mostra que real segue sobrevalorizado

No Brasil, o preço do lanche está sobrevalorizado em 16,0%, segundo cálculo da revista Economist

São Paulo* – Mesmo com a recente desvalorização do real, a moeda segue sobrevalorizada. Pelo menos, é isso que mostra o índice Big Mac, divulgado semestralmente pela revista Economist. O cálculo da Economist considerou o câmbio brasileiro em 2,27. 

No Brasil, o preço do lanche é de 5,28 dólares (cerca de 12 reais), enquanto nos Estados Unidos, o mesmo lanche custa 4,56 dólares. O preço no Brasil está sobrevalorizado em 16,0%. No índice divulgado em janeiro pela revista, o preço do lanche no Brasil era 29,2% mais caro que nos Estados Unidos.

O Brasil tem o quinto lanche mais caro, atrás de Noruega (primeira colocada), Venezuela, Suíça e Suécia. O índice analisa o preço do Big Mac em 57 países e é baseado na teoria da paridade do poder de compra, segundo a qual as taxas de câmbio deveriam realizar um ajuste que faria o preço de uma cesta de produtos ser o mesmo em diferentes países. A revista utiliza o Big Mac para avaliar a taxa de câmbio pelo mundo, considerando que o McDonald’s tenta produzir sanduíches idênticos em diferentes países, com os mesmos ingredientes e métodos.

No índice ajustado por PIB per capita, o Brasil tem o Big Mac mais caro, sobrevalorizado em 71,6%.A taxa de câmbio implícita (preço local dividido pelo preço em dólares) é de 2,63. O índice ajustado aborda a crítica de que o preço médio do lanche deveria ser menor em países pobres já que os gastos com a mão de obra são menores que nos países ricos. Esse índice sinaliza onde a taxa de câmbio deveria seguir no longo prazo mas diz pouco sobre a taxa de equilíbrio atual, segundo a Economist. Para a revista, a relação entre o PIB per capita e os preços pode ser um guia melhor do valor justo corrente de uma moeda. 

Veja os 10 países que tem o Big Mac mais caro:

  País Preço em dólar Sobrevalorização
1 Noruega 7,51 64,7%
2 Venezuela 7,15 57,0%
3 Suíça 6,72 47,5%
4 Suécia 6,16 35,1%
5 Brasil 5,28 16,0%
6 Canadá 5,26 15,4%
7 Uruguai 4,98 9,3%
8 Dinamarca 4,91 7,8%
9 Israel 4,80 5,3%
10 Zona do Euro 4,66 2,3%

* A matéria foi atualizada às 09:09 horas para o acréscimo de informações.