Inadimplência do consumidor cresce pelo 3º mês seguido

Dados do Banco Central mostram que índice de calotes chegou a 6,1% em abril

São Paulo – A taxa de inadimplência das pessoas físicas subiu de 6,0% em março para 6,1% em abril, o maior patamar desde agosto do ano passado, quando o índice era de 6,2%. O resultado de março, que inicialmente era de 5,9%, foi revisado pelo Banco Central para 6,0%.

Os dados divulgados nesta segunda-feira (30) mostram que os atrasos de pagamento superiores a 90 dias estão crescendo desde o início do ano (veja tabela abaixo).

Analistas econômicos preveem piora da inadimplência ao longo do ano por causa de ações que estão sendo tomadas pelo Banco Central para desaquecer a economia. Além da elevação da taxa básica de juros, foram implementadas algumas medidas macroprudenciais que restringem a oferta de crédito.

Até mesmo as novas regras para cartões, que entram em vigor nesta quarta-feira (1º), vão esfriar o crédito e ajudar o Banco Central no controle da inflação. 

Na prática, o consumidor já sente a elevação nos juros cobrados nos financiamentos e a diminuição nos prazos. O aperto nas condições de crédito acaba piorando o índice de inadimplência. Porém, es economistas explicam que não há perspectiva de explosão dos calotes, pois o mercado de trabalho aquecido ainda garante uma renda maior para os trabalhadores.

Há casos, no entanto, de superendividamento de famílias, o que tem chamado a atenção das financeiras na hora de aprovar o crédito

Veja a evolução da inadimplência total dos consumidores em 2011:

Fonte: Banco Central
2011 Inadimplência
Janeiro 5,7%
Fevereiro 5,8%
Março 6,0%
Abril 6,1%