IGP-M recua para 0,15% na segunda prévia de outubro

O resultado ficou abaixo do piso das projeções de analistas do mercado financeiro, que esperavam elevação entre 0,16% e 0,59%

Rio de Janeiro – A segunda prévia do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) de outubro subiu 0,15%, após avançar 0,84% em igual prévia do mesmo indicador em setembro. O resultado, anunciado na manhã desta sexta-feira pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), ficou abaixo do piso das projeções dos analistas do mercado financeiro ouvidos pelo AE-Projeções, que esperavam elevação entre 0,16% e 0,59%, e se posicionou abaixo da mediana das expectativas (0,27%).

A FGV informou ainda os resultados dos três indicadores que compõem a segunda prévia do IGP-M de outubro. O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA-M) subiu 0,01% nesta prévia, após avançar 1,11% em igual prévia do mesmo índice em setembro. Por sua vez, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC-M) teve alta de 0,52% na segunda prévia deste mês, em comparação com o aumento de 0,37% na segunda prévia do mês passado. Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registrou taxa positiva de 0,21% na segunda prévia do indicador deste mês, após registrar elevação de 0,14% na segunda prévia de setembro.

O resultado acumulado do IGP-M é usado no cálculo de reajuste nos preços dos aluguéis. Até a segunda prévia de outubro, o IGP-M acumula aumentos de 7,25% no ano e de 7,65% em 12 meses. O período de coleta de preços para cálculo da segunda prévia do IGP-M deste mês ano foi do dia 21 de setembro a 10 de outubro.

A inflação agropecuária perdeu força em outubro. Os preços dos produtos agrícolas no atacado caíram 0,40% na segunda prévia do IGP-M deste mês, em comparação com a alta de 2,60% apurada na segunda prévia do mesmo índice em setembro.

De acordo com a FGV, os preços dos produtos industriais no atacado tiveram aumento de 0,17% na segunda prévia anunciada nesta sexta, em comparação com a alta de 0,52% na segunda prévia de setembro.

No âmbito do Índice de Preços por Atacado segundo Estágios de Processamento (IPA-EP), que permite visualizar a transmissão de preços ao longo da cadeia produtiva, os preços dos bens finais subiram 0,46% na segunda prévia de outubro, após alta de 0,85% na segunda prévia de setembro.

Já os preços dos bens intermediários apresentaram aumento de 0,54% nesta prévia, em comparação com a elevação de 0,80% na segunda prévia do IGP-M de setembro. Por fim, os preços das matérias-primas brutas tiveram taxa negativa de 1,12% na segunda prévia de outubro, em comparação com a alta de 1,76% na mesma base de comparação.