IGC corta estimativa de safra de soja na Argentina devido à seca

Economista sênior do Conselho Internacional de Grãos prevê queda de 38 milhões de toneladas

Genebra – A safra de soja da Argentina deverá cair para 38 milhões de toneladas após o clima quente e seco este ano, disse o economista sênior do Conselho Internacional de Grãos (IGC), Darren Cooper, nesta quarta-feira.

“Tivemos que rebaixar a previsão de safra em 18 milhões de toneladas, de 56 para 38 (milhões de toneladas) no espaço de seis meses –está indo apenas em uma direção”, disse Cooper em uma conferência da ONU sobre commodities.

Cooper disse que a previsão mais baixa para a safra 2017/18 seria incluída no relatório mensal do IGC, que deve ser publicado na quinta-feira.

A previsão está em linha com a divulgada pelo Ministério da Agricultura da Argentina na semana passada, de 37,6 milhões de toneladas, após uma prolongada seca.

O IGC previu que a Argentina produziria 43 milhões de toneladas em seu último relatório em 22 de março, enquanto a previsão mais recente do Departamento de Agricultura dos EUA é de 40 milhões.

“Curiosamente, o vizinho Brasil está indo na direção oposta. Estamos vendo uma safra recorde lá para a soja”, acrescentou Cooper.

No mês passado, o IGC colocou a safra de soja 2017/18 do Brasil em 114 milhões de toneladas, marginalmente abaixo dos 114,1 milhões da safra anterior, mas o USDA recentemente colocou a safra em um recorde de 115 milhões.