IBGE: Sudeste concentra empregos e salários de serviços

Região foi a que apresentou maior receita, maior número de pessoas ocupadas e maior massa salarial paga aos trabalhadores

Rio de Janeiro – As empresas prestadoras de serviços tendem a se localizar nas regiões de maior aglomeração humana e empresarial, segundo a Pesquisa Anual de Serviços, referente a 2009, divulgada hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Portanto, a região Sudeste foi a que apresentou maior receita, maior número de pessoas ocupadas e maior massa salarial paga aos trabalhadores.

“O setor de serviços é extremamente dependente dos aglomerados urbanos, populacionais ou empresariais. Então não adianta fazer política de incentivo de serviços fora das regiões urbanas, porque ela é menos eficiente do que a política industrial. O polo de serviços necessita estar ligado ao aglomerado urbano”, ressaltou Guilherme Telles, analista do IBGE.

No Sudeste, as empresas de serviços foram responsáveis por 66,4% da receita bruta de prestação de serviços, por 60,7% do total de pessoal ocupado, 67,2% da massa de salários e outras remunerações pagas, e 60,2% do número de empresas.

As empresas da região Sul responderam por 14,1% da receita bruta, 15,5% do pessoal ocupado, 13,6% dos salários, e 21,6% das empresas de serviços do País. Já o Nordeste registrou 9,8% da receita bruta, 13,8% do pessoal ocupado, 10,2% dos salários, e 10,2% do número de empresas.

A região Centro-Oeste teve 6,9% da receita bruta de serviços, 7,0% do pessoal ocupado, 6,6% da massa salarial, e 6,5% do número de companhias. Por último, a região Norte amealhou 2,8% da receita bruta, 3,0% do pessoal ocupado, 2,4% da massa de salários, e apenas 1,5% do total de empresas.

A atividade de serviços profissionais, administrativos e complementares foi a que se destacou em todas as regiões do país, tanto em pessoal ocupado quanto em salários pagos.