IBGE projeta que safra será de 193,5 milhões de toneladas

O Brasil deve produzir uma safra recorde de 193,5 milhões de toneladas de grãos em 2014, segundo projeção do IBGE

Rio de Janeiro – O Brasil deve produzir uma safra recorde de 193,5 milhões de toneladas de grãos em 2014, com um crescimento de 2,8% em comparação ao ano passado (188,2 milhões de toneladas), segundo projeção divulgada nesta quinta-feira pelo Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A previsão para 2014, feita com base nas visitas ao campo por técnicos do governo em setembro, é, no entanto, ligeiramente inferior à calculada em agosto (193,6 milhões de toneladas), conforme os dados divulgados hoje.

O aumento da produção em nível recorde será possível devido à expansão da área cultivada, que chegará a 56 milhões de hectares, crescimento de 5,9% frente à de 2013 (52,8 milhões de hectares).

Soja, milho e arroz, nessa ordem, serão responsáveis por 85,1% de toda a área a ser colhida e por 91,2% da produção total de grãos.

Enquanto a área plantada com soja será 8,2% superior a do ano passado, a de arroz crescerá apenas 0,2%.

O espaço destinado ao milho será reduzido em 1,2%.

Já a produção de soja aumentará em 5,5%, chegando em 86,2 milhões de toneladas.

A previsão de expansão do arroz é de 3,5% (12,2 milhões de toneladas).

Mas o Brasil produzirá menos milho, com redução de 3,1% (77 milhões de toneladas).

A produção de café neste ano ficará limitada a 45,1 milhões de sacas de 60 quilos devido ao clima quente e seco dos primeiros meses deste ano. As condições desfavoráveis afetaram as lavouras na região Sudeste do país.

Outro fator que influenciou foi a queda dos preços do grão nos mercados internacionais, desestimulando os produtores a investirem no cultivo.

Dos 26 produtos analisados pelo IBGE, 19 terão uma produção maior esse ano em relação à 2013, com destaque para o algodão, com crescimento estimado de 22,6%, aveia (3%), cacau (3,3%), cana-de-açúcar (1,3%), cebola (6,7%), cevada (4,5%), mamona (170,4%), mandioca (9,9%) e trigo (37,8%).