IBGE: Construção demite 280 mil empregados em um ano

Na direção oposta, a indústria criou 232 mil vagas no período de um ano, uma alta de 2,0% no total de ocupados

Rio – A construção cortou 280 mil postos de trabalho no período de um ano, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), iniciada em 2012 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O total de ocupados na atividade encolheu 4,1% no primeiro trimestre de 2018 ante o mesmo período de 2017.

Também houve corte de vagas no setor de agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura, com menos 196 mil empregados, um recuo de 2,3% no total de ocupados.

Na direção oposta, a indústria criou 232 mil vagas no período de um ano, uma alta de 2,0% no total de ocupados no setor no primeiro trimestre deste ano ante o quarto trimestre de 2017. O comércio contratou 261 mil empregados, alta de 1,5% na ocupação no setor.

A atividade de Informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas – que inclui alguns serviços prestados à indústria – registrou um crescimento de 129 mil vagas em um ano, 1,3% de ocupados a mais.

Também houve aumento no contingente de trabalhadores de alojamento e alimentação (+283 mil empregados), outros serviços (+441 mil pessoas), administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais (+467 mil vagas), transporte, armazenagem e correio (+105 mil vagas) e serviços domésticos (+151 mil empregados).