Greve geral na Grécia contra a austeridade

Médicos, advogados e professores são algumas categorias convocadas à greve pelos sindicatos

Atenas – A Grécia tem nesta quarta-feira uma nova greve geral convocada pelos principais sindicatos para protestar contra o plano de austeridade imposto pela União Europeia e o Fundo Monetário Internacional.

Médicos, advogados e professores são algumas categorias convocadas à greve pelos sindicatos do setor privado (GSEE) e do setor público (Adedy).

“Lutamos pelas convenções coletivas, para que sejam adotadas medidas para lutar contra o desemprego e para conservar nossos direitos democráticos”, afirma um comunicado do GSEE.

Além dos dois sindicatos, a frente comunista sindical Pame também integra o protesto.

O principal partido de oposição, Syriza (esquerda radical), espera que a greve ajude a derrubar o frágil governo de coalizão entre a direita e a esquerda moderada, dirigido pelo primeiro-ministro conservador Antonis Samaras.

“A política implacável do governo Samaras deve conduzir a uma revolta popular. A greve geral tem que ser o princípio desta revolta”, afirma uma nota do partido.

As autoridades aeroportuárias cancelaram ou adiaram voos. Os hospitais trabalharão com um número reduzido de funcionários.