Greve em SP; MS e BA pode ter prejudicado dados da safra

O Levantamento Sistemático da Produção Agrícola não recebeu informações em maio de três grandes Estados produtores

Rio – O Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) não recebeu informações em maio de três grandes Estados produtores, como um possível efeito da greve de servidores no órgão. Os dados sobre as lavouras de São Paulo, do Mato Grosso do Sul e da Bahia não foram entregues até o fechamento de maio, informou Carlos Guedes, técnico da Coordenação de Agropecuária do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“Alguns Estados já este mês não enviaram informação: São Paulo, Mato Grosso do Sul e Bahia. Não posso afirmar que foi por causa da greve especificamente, mas esses Estados não enviaram os dados. Nosso banco fechou no dia 30 de maio, é o ultimo dia para fechar essas informações”, disse Guedes.

Segundo o pesquisador, a falta de dados desses três Estados não compromete a qualidade das informações do levantamento, por serem grande produtores de culturas que já foram tiradas do campo.

“Não compromete muito porque esses Estados são grandes produtores de soja e milho, são culturas já bem adiantadas. A soja já está toda colhida. O milho que ainda tem alguma coisa no campo”, afirmou Guedes. “Não sei dizer se eles (os dados) foram coletados ou não. Eu sei que o banco não foi abastecido”.

Embora a pesquisa sobre a safra de grãos tenha divulgação mensal, Guedes explicou que é comum que nem todos os Estados forneçam informações todos os meses. A frequência das reuniões de equipe e do abastecimento do banco de dados depende das características das lavouras de cada região.

Se a época de colheita já passou e não há outra cultura no campo, é comum algum Estado fornecer informações apenas a cada dois meses. Segundo ele, um possível impacto da falta de informações em maio de SP, MS e BA sobre o levantamento só será conhecido na próxima divulgação, referente a junho.

“São três Estados relativamente importantes. Então, só mês que vem, se tiver muita variação em relação ao mês anterior, que a gente vai saber qual foi o impacto da greve”, declarou.

Guedes contou ainda que já houve relatos de preocupação com o impacto da greve sobre a coleta de dados para o levantamento de junho em pelo menos duas regiões: Alagoas e Bahia.

“Alguns Estados têm ligado para a coordenação (Coordenação de Agropecuária do IBGE) e informado um pouco como está a greve. E alguns Estados estão preocupados já para o próximo mês. Ouvi falar de Alagoas e Bahia, que estão um pouco preocupados já com a coleta do mês que vem”, disse. “O banco (de dados) fecha no fim do mês, mas a coleta se dá durante o mês”, lembrou.