Grécia deve propor medidas críveis, diz economista do FMI

Na semana passada, o Fundo anunciou publicamente que estava retirando seus representantes das negociações com a Grécia em Bruxelas

Washington – O governo da Grécia deve propor “medidas verdadeiramente críveis” para resolver seus problemas fiscais, enquanto seus credores deveriam reescalonar a dívida do país com juros mais baixos, disse neste domingo o economista-chefe do Fundo Monetário Internacional (FMI), Olivier Blanchard.

“São escolhas difíceis, e comprometimentos difíceis para ambos os lados”, disse Blanchard no blog do FMI.

Na semana passada, o Fundo anunciou publicamente que estava retirando seus representantes das negociações com a Grécia em Bruxelas.

A decisão do FMI e as declarações de Blanchard neste domingo foram interpretadas como advertências tanto para Atenas quanto para outros governos da zona do euro, liderados pela Alemanha.

A saída do FMI das negociações aumentou a pressão para que a Grécia adote medidas impopulares e cortes de gastos, ou corra o risco de um calote da dívida e um caos financeiro ainda maior.

Segundo Blanchard, a Grécia deve ceder um pouco nas negociações e a Alemanha e os outros países devem se manter firmes na exigência de metas fiscais rigorosas ou perdoar parte da dívida grega.

O post também foi visto na Europa como uma tentativa do Fundo de justificar sua posição para o caso de as negociações fracassarem e a Grécia ficar insolvente e deixar a zona do euro.