Governo quer apoiar “indústria 4.0” com crédito de R$ 7 bilhões

Linhas de financiamento, oferecidas a pequenas e médias empresas, só são um dos pilares das políticas do governo para a modernização

São Paulo – O governo federal apresentou nesta quarta-feira, durante a edição latino-americana do Fórum Econômico Mundial, os planos para atualizar o parque fabril do país e estimular a chamada “indústria 4.0″, uma iniciativa que prevê uma linha de crédito de R$ 7 bilhões até 2020.

“É uma grande preocupação do governo e o momento é propício, sobretudo agora que a economia brasileira retomou o crescimento”, indicou o ministro de Indústria e Comércio Exterior, Marcos Jorge de Lima, em uma das mesas do fórum, realizado em São Paulo.

Lima afirmou que as linhas de financiamento previstas, oferecidas fundamentalmente a pequenas e médias empresas, só são um dos pilares das políticas do governo para a modernização da indústria. Outra medida destacada foi a isenção de tarifa para importação de robôs.

A recuperação da economia como base para dar mais dinamismo ao processo de implantação da indústria 4.0 também foi citada pelo presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Luiz Augusto Ferreira, que considerou que a medida dá mais segurança para os investimentos no país.

No entanto, Ferreira admitiu que o processo será lento, tanto por causa das dimensões do Brasil como pela obsolescência de parte da indústria do país.

“Temos que ter uma discussão sobre uma reindustrialização nova e também sobre uma adequação das empresas brasileiras para uma realidade diferente, que influi diretamente nos níveis de competitividade do país”, afirmou.

Além disso, o presidente da ABDI afirmou que, para encurtar o caminho até a indústria 4.0, o Brasil deve ter uma maior eficiência energética, investindo na educação e na formação de seus cidadãos para esse “novo mundo”.

Ferreira também destacou os planos do governo federal para implementar no país a internet das coisas, que pode se transformar em outro fator de promoção dos investimentos privados. Segundo ele, a velocidade das mudanças tecnológicas já está levando a um processo de revisão de todas as políticas públicas para a indústria.

Durante o evento, o presidente Michel Temer mostrou otimismo sobre a recuperação econômica e garantiu que o país seguirá por esse caminho. Já o presidente do Bradesco, Luiz Trabuco, considerou que é preciso colocar o Brasil no “tabuleiro das nações”.

“É preciso olhar para o Brasil do futuro e, para isso, construir um projeto de nação”, destacou Trabuco.