Governo da Espanha não concorda com previsões da S&P

Um dia depois do rebaixamento da nota da dívida espanhola pela agência de risco, secretário de Economia do país rebate previsões

Madri – O governo da Espanha não compartilha as previsões macroeconômicas da agência de classificação financeira Standard & Poor’s (S&P), afirmou nesta quinta-feira o secretário de Estado de Economia, José Manuel Campa, um dia depois da S&P rebaixar a nota da dívida espanhola.

A previsão da S&P de crescimento médio anual de 0,7% no período 2010-2016 “está claramente abaixo das estimativas feitas não apenas pelo governo, mas pela maioria dos analistas tanto nacionais como internacionais”, declarou José Manuel Campa.

A S&P rebaixou na quarta-feira em um nível a nota da dívida a longo prazo da Espanha, de “AA+” a “AA”.

A agência calculou que o crescimento real do PIB espanhol será na média de 0,7% em ritmo anual no período 2010-2016, contra uma previsão anterior superior a 1% interanual.

A perspectiva complicará o saneamento das finanças públicas espanholas.

A Espanha entrou em recessão em 2008. O país também enfrenta uma taxa de desemprego muito elevada, que superou 20% no primeiro trimestre.

A decisão da S&P foi anunciada em um momento de pânico dos mercados, provocado pelo temor de contágio da crise orçamentária da Grécia para outros países da zona euro, incluindo Portugal e Espanha.

O governo espanhol pediu calma após o anúncio da Standard & Poor’s.