Governo do Reino Unido reduz previsões de crescimento

O ministro das Finanças advertiu que essas previsões dependem de que o país permaneça na União Europeia depois do referendo a respeito em 23 de junho

O ministro das Finanças do governo britânico, George Osborne, reduziu nesta quarta-feira a previsão de crescimento econômico para este ano e os três seguintes, na apresentação do orçamento anual ante o parlamento.

O crescimento em 2016 será de 2% (e não de 2,4% previstos em novembro); em 2017 será de 2,2% (2,5%); em 2018 será de 2,1% (2,4%); em 2019 de 2,1% (2,3%) e em 2020 de 2,1% (2,3%).

Osborne advertiu que essas previsões, elaboradas pelo Birô de Responsabilidade Orçamentária (OBR), o órgão independente que supervisiona as contas, dependem de que o país permaneça na União Europeia depois do referendo a respeito em 23 de junho.

O ministro atribuiu os cortes das previsões a “um perigoso coquetel de ameaças econômicas mundiais”, que aumentam a necessidade de continuar com o rigor orçamentário.