Futuro chefe de economia da UE pede política de orçamento menos restritiva

Para Paolo Gentiloni, embora o déficit da UE e regras fiscais não devem ser ignoradas, elas precisam ser "revistas e atualizadas"

Roma — A União Europeia precisa de políticas orçamentárias mais flexíveis e uma reformulação de suas regras fiscais, disse o futuro comissário de economia do bloco em um artigo publicado neste domingo.

Em artigo publicado no jornal financeiro diário italiano Il Sole 24 Ore, Paolo Gentiloni disse que, embora o déficit da UE e regras fiscais não devem ser ignoradas, elas precisam ser “revistas e atualizadas”.

“É hora de países que têm espaço fiscal usá-lo, em um contexto geral de políticas orçamentárias menos restritivas”, disse Gentiloni, que substituirá Pierre Moscovici como comissário de assuntos econômicos e financeiros em 1º de novembro.

O ex-premiê italiano alertou que, com a economia da UE em desaceleração, “os riscos de um período prolongado de baixo crescimento não devem ser negligenciados” e a tarefa de estimular a economia “não pode ser deixada somente para a política monetária.”