França e EUA estudam convocar G20 por altos preços agrícolas

O Ministério francês lembrou que os compromissos internacionais precisam ser postos em prática para evitar um agravamento dos desequilíbrios entre oferta e procura

Paris – França e Estados Unidos estudam convocar uma reunião com os países que fazem parte do G20 para debater o aumento mundial dos preços agrícolas, informou o Ministério francês de Agricultura em comunicado divulgado nesta segunda-feira.

O Ministério explicou que França e Estados Unidos, como atual e futuro presidentes do sistema de informação dos mercados de Agricultura e Alimentação (FAO), respectivamente, “continuam atentos a qualquer fator que possa justificar a convocação”.

Os dois países pretendem realizar uma reunião do Fórum de Reação Rápida, um órgão da ONU que estuda as informações proporcionadas por países do G20 sobre o estado de suas colheitas e suas previsões. O Ministério francês lembrou que os compromissos internacionais precisam ser postos em prática para evitar um agravamento dos desequilíbrios entre oferta e procura.

Na sexta-feira passada, um relatório do departamento americano de Agricultura estimou que, como consequência da seca e da onda de calor do verão no país, a colheita de milho – cerca de 40% é utilizada na fabricação de biocombustíveis – será a pior dos últimos seis anos. Além disso, os Estados Unidos revisaram também as perspectivas sobre a soja, que teve baixa de 12%.

“Esta situação, que não é nova, já era esperada pelos mercados, o que explica em partes a alta de preços observada nas últimas semanas”, afirmou o Ministério francês.

Neste contexto, Paris e Washington se associam para lembrar os compromissos assumidos pelos membros do G20 no âmbito agrícola, “em particular a necessidade de não tomar medidas suscetíveis de amplificar os desequilíbrios entre a oferta e a demanda”.

Após a publicação do relatório do departamento de Agricultura, a cotação do milho na Bolsa de Chicago, que tinha subido mais de 60% em dois meses, alcançou um novo pico.