FMI prevê que Índia cresça 7,2% em 2015, acima da China

Com a queda das importações de ouro, preços mais baixos do petróleo e reformas anunciadas pelo novo presidente indiano, o cenário fica cada vez mais promissor

Washington – O Fundo Monetário Internacional (FMI) revisou nesta quarta-feira para cima as previsões de crescimento da Índia no ano fiscal de 2015 (de março a março), de 6,3% para 7,2%, e de 6,5% para 7,5% em 2016, superando a China.

O FMI qualificou a Índia como o “ponto brilhante” no panorama internacional, e aplaudiu a agenda de reformas anunciada pelo novo governo de Narendra Modi, que chegou ao poder em maio de 2014.

Desta forma, a Índia supera a China como o país com maior crescimento do mundo, em um momento no qual a previsão de crescimento do gigante asiático para 2015 é de menos 7% pela primeira vez em muitos anos.

“Os números de crescimento são muito mais altos e o déficit por conta corrente é mais cômodo, em parte devido à queda das importações de ouro e os preços mais baixos do petróleo”, afirmou Paul Cashin, chefe da missão do FMI na Índia.

Cashin afirmou que “os anúncios de novos projetos de investimentos começaram a subir, particularmente nos setores de energia e transporte”.

Além disso, ressaltou a “resistência” dos setores de serviços e manufatura em um contexto de arrefecimento da demanda global.

Por outro lado, avaliou positivamente a adoção de um sistema de meta inflacionária por parte do Banco da Índia, com o qual se espera que o índice fique em torno de 4%.