FMI, OMC e OCDE querem defender livre-comércio ante protecionismo

Segundo os líderes, "as cifras de crescimento decepcionantes do comércio mundial e o perigo de tendências protecionistas crescentes" incentivam o apoio

Os chefes das três maiores organizações econômicas mundiais – FMI, OMC e OCDE – assim como a Alemanha, indicaram que querem dar maior apoio ao comércio internacional frente à tendência protecionista, em uma declaração publicada nesta segunda-feira em Berlim.

“As cifras de crescimento decepcionantes do comércio mundial e o perigo de tendências protecionistas crescentes são para nós uma incentivo claro para apoiar o sistema comercial internacional ainda mais”, enfatiza nesta declaração publicada por ocasião da reunião de dirigentes destas organizações, Christine Lagarde pelo Fundo Monetário Internacional, Roberto Azevêdo pela Organização Mundial do Comércio e Angel Gurría pela Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico, com a chanceler Angela Merkel na capital alemã.