Núcleo por exclusão do IPC sobe 0,28% em setembro, diz Fipe

No mesmo período de comparação, o IPC cheio passou de uma variação de 0,34%, em agosto, para uma taxa de inflação de 0,21% no mês seguinte

São Paulo – O núcleo por exclusão do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) apresentou alta de 0,28% no encerramento de setembro na capital paulista, segundo divulgação feita nesta quinta-feira, 2, pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

O resultado foi ligeiramente maior do que o observado em agosto, quando houve elevação de 0,24%.

No mesmo período de comparação, o IPC cheio passou de uma variação de 0,34%, em agosto, para uma taxa de inflação de 0,21% no mês seguinte.

O cálculo deste tipo de núcleo leva em conta a eliminação dos preços monitorados e dos alimentos no domicílio (industrializados, semielaborados e in natura) do indicador geral.

No acumulado de 12 meses, o núcleo por exclusão atingiu alta de 6,23% até setembro, resultado superior à variação de 5,45% do índice cheio no mesmo período.

Outro tipo de núcleo calculado mensalmente pela Fipe é o de médias aparadas, no qual são retiradas até 20% das maiores baixas de preços e até 20% das maiores altas do IPC.

Em setembro, esse núcleo apresentou avanço de 0,34%, superior ao de 0,14% do mês anterior.

No acumulado de 12 meses até setembro, o núcleo de médias aparadas alcançou a marca de 4,10%.