Fim do euro pode custar US$ 305 bilhões ao Brasil até 2020

Fundação alemã Bertelsmann Stiftung calculou que, no mundo todo, o impacto seria de US$ 22,5 trilhões para a economia

São Paulo – A quebra do euro poderia custar, no pior dos cenários, 17,2 trilhões de euros para o mundo, equivalente a mais de 22,5 trilhões de dólares. O dado é de uma pesquisa encomendada pela fundação alemã Bertelsmann Stiftung.

Segundo o estudo, esse é o valor que poderia ser tirado do crescimento das 42 maiores economias do mundo até 2020, caso acontecesse um “GPSI-Exit”, como foi batizada na pesquisa a saída da Grécia, Portugal, Espanha e Itália da zona do euro. 

Nesse cenário, o Brasil pagaria uma conta de 233 bilhões de euros, pouco mais de 305 bilhões de dólares, de redução no PIB até 2020, calculou o estudo.

Embora a chance de um desses cenários acontecer seja baixa, a pesquisa também calculou o impacto na economia mundial segundo outras três hipóteses fictícias para uma piora da crise da Europa. Confira:

“Grexit”

O termo vem sendo usado mundialmente para falar sobre uma possível saída da Grécia da zona do euro. A possibilidade de isso acontecer já chegou a 90%, segundo estudos do Citibank, que reduziu essa probabilidade para 60% neste mês.

Nesse cenário, o impacto para a economia mundial seria o menor possível, mas ainda assim a conta viria alta. Segundo o estudo da Bertelsmann Stiftung, as 42 maiores economias do mundo poderiam perder juntas 674 bilhões de euros, ou 883,4 bilhões de dólares.

Para o Brasil, o impacto acumulado no PIB até 2020 seria de 10 bilhões de euros, ou 13 bilhões de dólares.

“GP-Exit”

Esse cenário considera um calote com saída da zona do euro da Grécia e de Portugal. Nesse caso, o impacto seria “considerável”, mas pequeno em relação ao que poderia acontecer no pior dos casos, destacou a pesquisa. 


Para a economia mundial como um todo, a situação poderia reduzir em 2,4 trilhões de euros, ou 3,145 trilhões de dólares, o PIB. O país que mais sentiria esse efeito são os Estados Unidos, com uma redução de 365 bilhões de euros em sua economia. 

O Brasil poderia perder nesse caso 35 bilhões de euros, quase 46 bilhões de dólares, até 2020 em seu PIB. 

“GPS-Exit”

Se Portugal, Grécia e Espanha dessem um calote e saíssem juntos da zona do euro, o mundo poderia perder até 7,897 trilhões de euros em sua economia até 2020. Os Estados Unidos seriam os maiores prejudicados, com uma redução de 1,244 trilhão de euros no PIB até 2020. A França também teria um forte prejuízo econômico, de até 1,225 trilhão de euros.

Outro dado preocupante é a situação da China nesse cenário, que poderia ter uma redução de até 924 bilhões de euros em sua economia até 2020.

Para o Brasil, a saída dos três países juntos da zona do euro poderia custar uma redução de até 113 bilhões de euros, ou quase 175 bilhões de dólares, no PIB até 2020.

Confira também: Quanto as principais economias vão crescer (ou encolher), segundo o FMI