Emprego na indústria tem maior queda desde 2009, diz Fiesp

Para Paulo Francini, diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) da Fiesp, a situação ainda deve se agravar

São Paulo – A queda de 1,20% no nível de emprego da indústria paulista no período de janeiro a agosto, divulgada nesta terça-feira, 16, pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), é o pior resultado para o período desde 2009, quando o indicador registrou retração de 2,02%.

Para Paulo Francini, diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos (Depecon) da Fiesp, a situação ainda deve se agravar, superando a marca de 100 mil postos de trabalho fechados neste ano.

“Faltam três meses para completarmos o ano e não vemos sinais de que tenhamos alguma recuperação”, disse Francini, que classifica o este ano como melancólico.

Em números absolutos, de acordo com o Depecon, 31,5 mil pessoas perderam o emprego na indústria de janeiro a agosto.

Só em agosto foram demitidos 15 mil trabalhadores. Destes, 12.275 foram dispensados pelos vários setores manufatureiros e 2.725 apenas pelo segmento de açúcar e álcool.