FGV: alta de 0,80% de alimento puxa inflação pelo IPC-S

A variação nos preços do setor de alimentação saltou de 0,55% para 0,80% entre a terceira e a quarta quadrissemana de agosto

Rio de Janeiro – Pela terceira semana consecutiva o grupo Alimentação foi a classe de despesa que mais contribuiu para o avanço da inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor – Semanal (IPC-S). A variação nos preços dos alimentos saltou de 0,55% para 0,80% entre a terceira e a quarta quadrissemana de agosto, pressionada por acelerações de preços em frutas (de 5,70% para 7,47%) e carnes bovinas (de 1,20% para 1,67%).

Alimentação não foi o único grupo a mostrar avanço mais intenso de preços. Mais quatro classes de despesa mostraram queda mais fraca de preços ou taxa de inflação mais forte, no mesmo período. É o caso de Vestuário (de -0,63% para -0,33%), Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,36% para 0,46%), Educação, Leitura e Recreação (de 0,12% para 0,19%) e Transportes (de 0,08% para 0,11%).

Apenas um grupo mostrou decréscimo em sua taxa de variação de preços: Despesas Diversas (de 0,04% para -0,04%). Já o grupo Habitação manteve a mesma taxa de inflação (0,38%).

Entre os produtos pesquisados, as mais expressivas altas de preço foram apuradas em limão (104,85%); aluguel residencial (0,72%); e leite tipo longa vida (2,66%). Já as mais significativas quedas de preço foram registradas em batata-inglesa (-21,39%); alho (-10,38%); e cebola (-10,01%).