Ferraris denunciam falsos “pobres” na Itália

Operação de fiscais da receita italiana encontrou 42 donos de Ferraris e Lamborghinis que declaravam receita anual de 30 mil euros

São Paulo – Já diria Benjamin Franklin, “na vida, só existem duas coisas certas: a morte e os impostos”. Ricaços italianos tentaram driblar o ditado, mas acabaram pegos pela garagem. Durante uma batida em uma luxuosa estação de esqui na Itália no dia 30 de dezembro, 42 proprietários de Ferraris, Lamborghinis e outros carros esportivos luxuosos que declaravam ter renda anual inferior a 30 mil euros foram enquadrados por sonegação fiscal, reportou a imprensa italiana.

Durante a operação em Cortina d’Ampezzo, cobiçado destino de inverno no Norte da Itália, 80 fiscais da receita averiguaram os bens de contribuintes locais e os compararam com as suas declarações de imposto de renda. Dos 113 carros de luxo averiguados, outros 16 pertenciam a pessoas que declaravam rendas de menos de 50 mil euros ao ano. 

Outros 118 veículos esportivos estavam registrados em nome de empresas em vez de pessoas físicas para driblar os impostos. Destes, 19 estavam registrados no nome de empresas que registraram prejuízo em 2010 e 37 pertenciam a companhias que faturaram menos de 50 mil euros no ano.

Os ficais da receita também averiguaram as contas de restaurantes e lojas de artigos de luxo locais. Os recibos registrados durante o período de monitoramento mostravam que o faturamento dos restaurantes foi 300% maior que o declarado. Nas lojas de artigos de luxo, a diferença chegou a 400%.

A inusitada operação faz parte dos esforços coordenados pelo governo tecnocrata de Mario Monti para endereçar o problema de evasão fiscal, que priva os cofres públicos de mais de 120 bilhões de euros ao ano.