Fed reduz estímulo, mas indica que juros continuarão baixos

Banco central americano anunciou planos para reduzir o agressivo programa de compra de títulos nesta quarta

Washington – O Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, anunciou planos para reduzir o agressivo programa de compra de títulos nesta quarta-feira, mas tentou atenuar o aguardado anúncio ao sugerir que a principal taxa de juros continuará baixa por mais tempo do que o prometido anteriormente.

No início do fim do apoio sem precedentes à economia norte-americana, o banco central informou que vai reduzir as compras mensais de títulos em 10 bilhões de dólares, para 75 bilhões de dólares por mês. A redução dividiu-se igualmente entre os títulos lastreados em hipotecas e os papéis do Tesouro.

“O Comitê (Federal de Mercado Aberto) vê que os riscos à perspectiva econômica e ao mercado de trabalho tornaram-se mais equilibrados”, disse o Fed após a reunião de dois dias.

A mudança, que surpreendeu alguns investidores, sinalizou a melhora na perspectiva para a economia e o mercado de trabalho, e marca um ponto de virada para o maior experimento de política monetária da História.

As bolsas inicialmente recuaram inicialmente, mas rapidamente voltaram a território positivo. Da mesma forma, os preços dos títulos recuaram mas depois subiram. O dólar subiu contra o euro e o iene.

“Eles finalmente tiraram o Band-aid que estavam puxando há muito tempo”, disse o presidente do hedge fund LibertyView Capital Management, Rick Meckler.

Fim de uma era?

O programa de compra de ativos do Fed, peça central da política da era de crises, adicionou cerca de 4 trilhões de dólares em títulos a seu balanço patrimonial. O processo de retirada do estímulo percorre numerosos riscos, incluindo a possibilidade de juros mais altos do que a meta e perda de confiança dos investidores.

O Fed disse que reduziu “modestamente” o ritmo de compra de títulos à luz de melhores condições do mercado de trabalho, informou o banco central em comunicado após a reunião de dois dias.