Fecomércio RJ diz que Brasil precisa virar a página

Em nota, a Fecomércio RJ aponta que após anos de crescimento cresceu a taxas de dois dígitos, o varejo avança atualmente entre 3% e 4% anuais

Brasília – A Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro (Fecomércio RJ) espera que a alta dos juros básicos em 0,5 ponto porcentual anunciada na noite desta quarta-feira, 3, pelo Comitê de Política Monetária (Copom) seja “o último capítulo do arrocho monetário em curso”.

A entidade diz, em nota, que indicadores de emprego, comércio, serviços e indústria mostram um cenário de desaceleração, que se agrava pelo encarecimento ainda maior do crédito.

Nesta noite, a taxa Selic subiu de 11,25% para 11,75% ao ano.

Em nota, a Fecomércio RJ aponta que após anos de crescimento cresceu a taxas de dois dígitos, o varejo avança atualmente entre 3% e 4% anuais.

“Se considerado o varejo ampliado, computados resultados de veículos e construção civil, o desempenho cai para uma média de crescimento zero. Em outras palavras, o arrefecimento da demanda já aconteceu, ao mesmo tempo em que o governo sinalizou maior rigor com o controle do gasto público pelo perfil da nova equipe econômica”, menciona a federação.

Para a Fecomércio RJ, o Brasil precisa “virar a página” e iniciar em 2015 uma nova agenda de desenvolvimento, pautada por incremento da competitividade das empresas e impulso à produtividade e responsabilidade fiscal, permitindo gradual redução dos juros no país.