Exportação de carne cai, apesar de reforço da Rússia

Embarques de setembro totalizaram 564,9 milhões de dólares, com uma redução de 9 por cento ante setembro de 2013

São Paulo – As exportações de carne bovina do Brasil recuaram em setembro tanto em faturamento quanto em volume, mas um aumento dos embarques para a Rússia ajudou a evitar uma queda ainda maior, informou nesta quinta-feira a Abiec, associação que reúne as indústrias exportadoras do país.

Os embarques de setembro totalizaram 564,9 milhões de dólares, com uma redução de 9 por cento ante setembro de 2013, e o volume alcançou 118,2 mil toneladas, queda de 16,3 por cento na comparação anual.

Ante agosto, a queda nas exportações foi de 12 por cento em faturamento e 11,8 por cento em volume.

Em entrevista à Reuters, o presidente da Abiec, Antonio Camardelli, explicou que a queda nas exportações não significa que tenha ocorrido algo contrário à tendência de crescimento nos embarques este ano.

O recuo está associado, disse ele, ao desembaraço de vendas externas com transporte não convencional diretamente em navios –normalmente, as cargas são embarcadas em contêineres.

“Tivemos durante o mês alguns negócios fechados de certa forma de maneira não tradicional, e alguns embarques que seriam feitos em setembro não foram possíveis…”, disse Camardelli, acrescentando que os volumes não embarcados no mês passado deverão ser computados em outubro, o que aumenta as expectativas do setor para este mês.

Segundo a Abiec, “mesmo com uma pequena retração nas exportações no mês de setembro”, a entidade está confiante em crescimento constante ao longo de 2014.

Na contramão das exportações do setor, os embarques para a Rússia –principal destino da carne bovina brasileira– cresceram no mês passado.

Em setembro de 2014, foram enviadas para à Rússia 35,1 mil toneladas, com faturamento de 153 milhões de dólares, alta de 13 por cento e 25 por cento, respectivamente.

“Os números positivos já podem ser reflexos da habilitação de novas plantas para exportação, anunciada em agosto último, confirmando expectativas de crescimento das vendas para o mercado russo”, disse a Abiec, em nota.

Em agosto, o diretor-executivo da Abiec, Fernando Sampaio, disse em entrevista à Reuters que projetava exportações mais fortes no segundo semestre na comparação com o primeiro.

O governo russo anunciou em agosto que permitiria um aumento significativo das vendas de carne e laticínios do Brasil, depois dos embargos impostos aos produtos dos Estados Unidos e União Europeia pela Rússia, em meio à crise da Ucrânia.

Acumulado do Ano

As exportações de carne bovina do Brasil nos primeiros nove meses do ano acumulam alta de quase 11 por cento em faturamento e cerca de 7 por cento em volume na comparação com 2013. No acumulado do ano, os embarques somam 1,164 milhão de toneladas, com faturamento de 5,3 bilhões de dólares.

“Hong Kong e Rússia continuam sendo os principais importadores da carne bovina brasileira, com crescimentos constantes ao longo do ano”, disse a entidade, em nota.

Cada um dos dois destinos comprou mais de 1 bilhão de dólares em carne bovina do Brasil este ano.

A Abiec estima que a indústria feche 2014 com recordes, acima de 1,8 milhão de toneladas e receita perto de 8 bilhões de dólares.