EXAME Fórum vai discutir impactos da ilegalidade na economia brasileira

O ex-governador Geraldo Alckmin está escalado entre os palestrantes do evento, que deve receber também o ex-presidente do STF Carlos Ayres Britto

São Paulo – Os impactos da ilegalidade no país serão tema do “EXAME Fórum Combate à Ilegalidade” na manhã da próxima quinta-feira, no Complexo Aché Cultural (Instituto Tomie Ohtake), na cidade de São Paulo.

De acordo com estimativas, as práticas ilegais no Brasil somam por ano um rombo que ultrapassa os R$ 130 bilhões, dinheiro que poderia ser investido na geração de empregos e na melhoraria das condições de saúde e educação.

O ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin está escalado entre os palestrantes do evento. O provável candidato do PSDB à Presidência da República deve falar sobre como o país pode desenhar em conjunto uma agenda para combater a ilegalidade e fortalecer seu desenvolvimento.

O EXAME Forúm, que será realizado das 9h às 12h30, contará também com a presença do ex-presidente do STF Carlos Ayres Britto. O jurista deve abordar a cultura da tolerância no Brasil e como o Estado e a Justiça podem romper esse círculo vicioso.

Outro palestrante que participará do evento é o presidente do Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (ETCO) e do Fórum Nacional contra a Pirataria e a Ilegalidade (FNCP), Edson Vismona. Ele vai mostrar como as empresas formais sofrem com a competição desleal dos negócios informais.

Produtividade

O EXAME Fórum terá também a presença do economista Samuel Pessoa, que deve apresentar como a ilegalidade interfere na produtividade, criando entraves no ambiente de negócios no Brasil.

Liel Miranda, presidente da Souza Cruz, Oskar Metsavaht, fundador e diretor criativo da Osklen, e Marina Carvalho, diretora da Associação pela Indústria e Comércio de Esportivos no Brasil, também participam do encontro debatendo a competição ilegal e o desincentivo ao investimento e à inovação.