Evita está de volta à Argentina em nova cédula

Evita, cuja morte completará 60 anos amanhã, ''é a primeira mulher que aparece em uma cédula'' na Argentina, disse Cristina

Buenos Aires – A Argentina apresentou nesta quarta-feira uma nova cédula de 100 pesos (cerca de R$ 44) com o rosto de Eva Duarte para comemorar os 60 anos da morte da segunda esposa do presidente da Argentina por três vezes, Juan Domingo Perón, e a quem é atribuída a frase ”voltarei e serei milhões”.

”Essa é uma obra histórica que consagra uma mulher que marcou não só a vida dos argentinos, mas a história mundial”, disse a presidente argentina, Cristina Kirchner, no ato de apresentação da nota.

A governante destacou que Evita, cuja morte completará 60 anos amanhã, ”é a primeira mulher que aparece em uma cédula” na Argentina.

A nova estampa, assinada pelo francês Roger Pfund – apresentado por Cristina Kirchner como o melhor desenhista de cédulas do mundo -, foi baseado em um esboço não concluído de uma nota de 5 pesos argentinos que começou a ser feita em 1952, após o falecimento de Evita, mas que nunca chegou a ser impressa.

Com a deposição de Perón, em 1955, um empregado da Casa da Moeda decidiu esconder os desenhos para que não fossem encontrados pelos golpistas.

Segundo a própria Christina contou hoje, há poucos anos o desenho foi encontrado escondido em um móvel da Casa da Moeda e surgiu o projeto de realizar uma nota em homenagem a Evita.


Apesar do caráter ”comemorativo” inicial, a governante disse hoje que solicitará às autoridades monetárias que tomem todas as medidas para que a cédula de Eva substitua a atual de 100 pesos, que leva o rosto de Julio Argentino Roca, militar por duas vezes presidente da Argentina (1880-1886 e 1898-1904), figura histórica muito questionada pelo governo.

”Minha intenção não é polemizar, mas se temos que fazer honra ao gênero, quem melhor para isso que a figura de Eva Perón impressa na nota de 100 pesos?”, disse Cristina.

O novo bilhete, que também passará pelas mãos do gravurista argentino Sergio Pilosio, retoma a simbologia do esboço de 1952: uma balança que representa a justiça social, e o ceibo, a flor nacional argentina e símbolo da abundância.

Atualmente já circulam na Argentina duas moedas cunhadas em homenagem a Evita, uma de 1997, feita em comemoração à lei do voto feminino, e outra de 2002, quando se completou meio século da morte da ex-primeira dama, ocorrida em 26 de julho de 1952.

”Não é que Eva tenha sido perfeita, não é que tenha sido uma santa. Pelo contrário. O que a transforma em algo maior, em algo inesquecível e imortal, é que foi uma humilde mulher que teve a imensa sorte de encontrar-se com um homem e com um povo”, definiu Cristina Kirchner.