EUA tiveram prejuízo de US$ 306 bi com desastres naturais em 2017

Ao longo do ano passado, o país sofreu com 16 grandes desastres meteorológicos, incluindo furacões, incêndios florestais e várias tempestades

Washington – Os Estados Unidos sofreram US$ 306 bilhões em perdas econômicas por causa dos desastres naturais registrados ao longo de 2017, um recorde segundo o relatório publicado nesta segunda-feira pela Agência Nacional de Oceanos e Atmosfera (NOAA).

Ao longo do ano passado, o país sofreu com 16 grandes desastres meteorológicos, incluindo furacões, como o Irma, Harvey e Maria, incêndios florestais, como o registrado na Califórnia, e várias tempestades severas, que deixaram 362 mortos, segundo o relatório.

Cada um dos 16 episódios gerou perdas superiores a US$ 1 bilhão. Somados, todos eles provocaram um prejuízo de US$ 306 bilhões, um novo recorde, de acordo com a NOAA, órgão que é vinculado ao Departamento de Comércio dos EUA.

Entre os desastres mais custosos em termos econômicos está o furacão Harvey, que gerou uma perda maior que os US$ 125 bilhões. Apenas o Katrina, em 2005, provocou mais prejuízo.

Além disso, os furacões Maria e Irma causaram perdas de US$ 90 bilhões e US$ 60 bilhões, respectivamente.

Os incêndios florestais da Califórnia, que devastaram grande parte do sul do estado em dezembro, causaram um prejuízo de US$ 18 bilhões.

Desde 1980, os EUA sofreram um total de 219 desastres naturais, segundo a NOAA, superando US$ 1,5 trilhão em perdas.

O relatório revelou também que 362 pessoas morreram por causa dos desastres naturais de 2017, quase 90 delas vítimas do Harvey.

“O ano de 2017 será lembrado como um ano de extremos nos EUA, já que inundações, tornados, furacões, secas e incêndios tiraram centenas de vidas e geram dificuldades econômicas para o país”, indicou a NOAA em comunicado.