Sabatina de Yellen deve ocorrer em novembro

Reuniões entre Yellen e membros do Comitê já estão sendo agendadas e devem começar na semana que vem

O Comitê Bancário do Senado deve realizar em novembro a audiência de confirmação de Janet Yellen para comandar o Federal Reserve, disse hoje um assessor da Casa.

O assessor afirmou que o Comitê recebeu parte da documentação referente à nomeação, um passo fundamental para que as audiências possam começar.

Reuniões entre Yellen e membros do Comitê já estão sendo agendadas e devem começar na semana que vem. Esses encontros costumam ocorrer antes da audiência, dando aos senadores a chance de conhecerem o nomeado e fazerem perguntas em um ambiente privado.

No início do mês, Obama anunciou a nomeação de Yellen, atual vice-presidente do Fed, para liderar o banco central. A nomeação, porém, está sujeita à confirmação do Senado e será avaliada e votada primeiramente pelo Comitê Bancário da Casa.

Se confirmada, Yellen será a primeira mulher a presidir o banco central americano em seus 100 anos de história.

Mais cedo, a Casa Branca afirmou que enviou hoje ao Congresso os documentos necessários para a confirmação de Janet Yellen como próxima presidente do Fed e disse que ela vai se reunir na próxima semana com senadores, visando se preparar para as audiências de confirmação.

O porta-voz da Casa Branca Josh Earnest disse que o presidente Barack Obama acredita que Yellen é excepcionalmente qualificada para substituir Ben Bernanke quando o mandato do atual presidente do Fed terminar no fim de janeiro. Segundo ele, a Casa Branca espera que o Senado confirme a nomeação sem maiores problemas.

Também nesta sexta-feira, a rede de televisão CNBC informou que o senador republicano Rand Paul está ameaçando paralisar a confirmação de Yellen para comandar o Fed se seu projeto sobre transparência no banco central americano não for à votação. O projeto do senador engloba uma completa auditoria do Fed. Bernanke e outros membros do banco central criticam o projeto, dizendo que ele ameaça a independência da instituição.

Um assessor de Paul disse ao site norte-americano Politico que o senador ainda não tomou uma decisão final sobre bloquear ou não a confirmação de Yellen. A questão é se outros senadores republicanos se uniriam em torno de Paul, uma vez que ele precisaria do apoio de outros 40 parlamentares. (Com informações da Dow Jones Newswires)