EUA ainda estão longe de saber lidar com bolhas financeiras

"Embora o uso de ferramentas macroprudenciais seja promissor, ainda estamos longe de sercapazes de usar com sucesso tais ferramentas" diz presidente do Fed NY

Boston – O presidente do Federal Reserve de Nova York, William Dudley, disse neste sábado que o conjunto de ferramentas dos EUA para lidar com desequilíbrios financeiros continua longe do ideal. “Minha visão pessoal é que, embora o uso de ferramentas macroprudenciais seja promissor, ainda estamos longe de sermos capazes de usar com sucesso tais ferramentas”, disse em um discurso preparado para um evento promovido pelo Fed de Boston.

As autoridades do Fed e de outros bancos centrais preferem recorrer a medidas macroprudenciais para resolver possíveis bolhas financeiras do que ter de elevar os juros, que têm um amplo impacto na economia como um todo. A questão é saber como identificar e evitar essas bolhas antes que elas se tornem um risco sistêmico. Dudley não comentou neste sábado especificamente sobre política monetária, mas disse que não vê uma ameaça iminente de bolhas no setor financeiro.

“Enquanto trabalhamos para resolver tudo isso, deveríamos nos consolar com o fato de que tornamos o sistema financeiro mais resiliente a choques”, comentou. Embora ele reconheça que pode ser difícil detectar a próxima rodada de desequilíbrios, o dirigente acredita que “com maiores exigências de capital e liquidez e o uso de testes de estresse para avaliar vulnerabilidades incipientes, eu acredito que nós estamos muito melhor posicionados do que no passado”.

Dudley comentou que, diferentemente do que ocorre com as ferramentas tradicionais de política monetária, no caso das medidas macroprudenciais não há uma estrutura bem definida para identificar e combater as possíveis bolhas. Além disso, convencer as autoridades regulatórias dos riscos existentes e da necessidade de promover uma resposta eficiente pode ser difícil.

Segundo Dudley, a implementação de respostas no tempo adequado é difícil, “porque a estrutura de regulamentação dos EUA é fragmentada, então na maioria dos casos não há um único regulador que seja capaz de implementar as ferramentas macroprudenciais de maneira abrangente”.

O presidente do Fed de Nova York diz que vê algum valor em políticas rígidas para abordar possíveis desequilíbrios, mas alertou que isso poderia tornar o sistema financeiro complexo demais, em resposta a riscos que no fim das contas poderiam não se materializar. Fonte: Dow Jones Newswires.