Estimativa de instituições sobre crescimento cai para 0,86%

Pela décima vez seguida, a estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto, feita por instituições financeiras, caiu

Brasília - <span>A projeção de instituições financeiras para o <strong><a href="http://www.exame.com.br/topicos/crescimento">crescimento</a></strong> da economia, este ano, continua em queda.</span></p>

Pela décima vez seguida, a estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – soma de todos os bens e serviços produzidos no país – caiu.

Desta vez, a projeção passou de 0,90% para 0,86%.

Para 2015, a projeção sobre o crescimento do PIB se mantém em 1,5%.

Essas projeções fazem parte da pesquisa semanal do Banco Central a instituições financeiras, sobre os principais indicadores econômicos.

A estimativa para a retração da produção industrial foi alterada de 1,15% para 1,53%, e há expectativa de recuperação, com crescimento de 1,70%, para 2015.

A previsão para o superávit comercial (saldo positivo de exportações menos importações) segue em US$ 2 bilhões, este ano, e passou de US$ 9,4 bilhões para US$ 8,5 bilhões, em 2015.

A estimativa para o saldo negativo em transações correntes (registros de compra e venda de mercadorias e serviços do Brasil com o exterior) foi ajustada de US$ 81,65 bilhões para US$ 81,45 bilhões, este ano, e permanece em US$ 74,1 bilhões, em 2015.

Para o investimento estrangeiro direto, que vai para o setor produtivo da economia, a projeção continua em US$ 60 bilhões, em 2014, e em US$ 55 bilhões, no próximo ano.

A projeção para a cotação do dólar permanece em R$ 2,35, este ano, e em R$ 2,50, em 2015.