Energia mais barata já aparece na inflação, diz Goldman

Pressões inflacionárias devem diminuir em fevereiro, em decorrência do preço dos alimentos e da redução das tarifas de energia nas residências

São Paulo – A inflação de janeiro, medida pelo IPCA, começou a capturar o impacto inicial da recente redução na tarifa de energia, segundo relatório do Goldman Sachs, assinado por Alberto Ramos. As tarifas residenciais recuaram 3,91% em janeiro.

A tarifa de energia foi a responsável pelo principal impacto negativo sobre a taxa de 0,86% do IPCA de janeiro. O peso da tarifa de energia elétrica para a formação do IPCA é de 3,33%.

O IPCA do primeiro mês de 2013 foi o maior desde abril de 2005. As pressões inflacionárias devem diminuir em fevereiro, segundo o Goldman, guiadas pela moderação na inflação no preço dos alimentos e pelo impacto da redução das tarifas de energia nas residências.