Economia da Venezuela caiu 53% desde que Maduro foi eleito, diz Parlamento

A Comissão de Finanças do Parlamento, de maioria opositora, também informou que durante o terceiro trimestre deste ano houve uma contração de 29,8%

Caracas – A atividade econômica da Venezuela caiu 53% desde que Nicolás Maduro foi eleito presidente do país, em 2013, disse nesta quarta-feira, 28, a Comissão de Finanças do Parlamento, de maioria opositora, que também informou que durante o terceiro trimestre deste ano houve uma contração de 29,8%.

A informação foi dada pelo Parlamento venezuelano porque o Banco Central está há três anos sem oferecer dados sobre os índices econômicos do país, algo que é interpretado pelo Legislativo como uma “política de ocultação” para não evidenciar a crise.

Em entrevista coletiva, o membro da Comissão de Finanças Ángel Alvarado indicou que este índice é o mais próximo que o Parlamento pode oferecer sobre o comportamento do Produto Interno Bruto (PIB) e que a depressão econômica é consequência da queda da produção petrolífera, a hiperinflação e a falta de investimentos.

“Mais da metade do PIB foi perdido como consequência destas medidas que mencionei anteriormente e como consequência de um modelo fracassado que está no controle, que não gera incentivos e o empobrecimento do venezuelano”, disse Alvarado ao enfatizar que a crise do país é parecida com a vivida por países com guerras civis.

Segundo ele, esta depressão econômica é a mais longa e “a pior já vivida no continente americano” e com a queda de 53% “a Venezuela entra no top 10, entre os dez piores colapsos econômicos da história”.