Dívida argentina não é difícil de resolver, diz presidente do BC

Para Miguel Pesce, a principal questão sobre os débitos do país está relacionada a um problema de agenda de pagamento

Buenos Aires — A Argentina tem um “problema de insustentabilidade” da dívida, mas não será tão difícil de resolver devido ao que está relacionado à agenda de pagamento e ao valor de cupom, disse nesta quarta-feira o presidente do banco central argentino, Miguel Pesce.

“Estamos novamente com um problema de insustentabilidade de nossa dívida, mas é um problema de agenda de pagamento e valor de cupom que não será tão difícil de resolver”, disse Miguel Pesce em um evento privado em Buenos Aires.

Veja também

A autoridade disse ainda que espera que o financiamento do Tesouro Nacional seja “na menor medida possível e pelo menor tempo possível”, e afirmou que os controles cambiais continuarão até que a Argentina, que está passando por uma grave crise econômica, alcance níveis significativos de exportação.