Diretor do Fed diz que será paciente ao avaliar a inflação

Inflação estável abre caminho para o banco central dos EUA continuar aumentando a taxa de juros e começar a cortar seu balanço antes do fim do ano

Com o bom progresso das duas metas do Federal Reserve de inflação estável e pleno emprego, o banco central norte-americano deve continuar aumentando a taxa de juros e começar a cortar seu gigantesco balanço antes do fim do ano, disse o presidente do Fed de Dallas, Robert Kaplan, nesta segunda-feira.

Mas em uma ressalva conforme o Fed se dirige para a reunião de meados de junho, Kaplan sugeriu que ainda não está pronto para declarar vitória sobre a inflação, particularmente diante de leituras mais fracas de inflação em março e abril.

“Estou ciente de que o progresso em direção ao nosso objetivo de inflação de 2 por cento foi lento e, às vezes, irregular”, disse Kaplan em um artigo divulgado pelo banco na segunda-feira, que repete muitos dos seus comentários recentes sobre as perspectivas para a economia e a política.

“Eu pretendo ser paciente na avaliação crítica dos próximos dados para avaliar se continuamos a progredir em alcançar nosso objetivo de inflação.”

Kaplan, um dos votantes sobre a política monetária neste ano, é visto muitas vezes como um bom termômetro do ponto de vista da liderança do Fed sobre a política monetária. Com a inflação ainda fora da meta de 2 por cento do Fed, alguns integrantes do banco central norte-americano estão preocupados com a continuidade do aumento da taxa de juros e com o risco de parar esse progresso em andamento.

Kaplan reiterou sua visão de que deixar taxa de juros num patamar baixo por muito tempo é arriscado, e que o desemprego, em 4,4 por cento em abril, está muito próximo de sua visão de pleno emprego.

“Continuo a acreditar que três aumentos de juros para 2017, incluindo o aumento de março, é um cenário apropriado para o curto prazo”, disse Kaplan.

O processo deve ser “gradual e paciente” e o ritmo pode ser mais acelerado ou mais lento se as condições econômicas melhorarem ou piorarem mais do que o esperado, ele afirmou.

Enquanto isso, o balanço do Fed de 4,5 trilhões de dólares, que está empurrando para baixo as taxas de longo prazo, deve ser encolhido gradualmente, começando, disse ele, “em algum momento neste ano”.