Desemprego em março é o menor para o mês em 9 anos

Rio de Janeiro – O índice de desemprego no Brasil em março foi de 7,6% da população economicamente ativa, a menor taxa nos últimos nove anos, informou hoje o IBGE.

O índice em março foi 1,4% inferior ao do mesmo mês em 2009 (9%) e o menor para o terceiro mês do ano desde que começou a ser medido com critérios mais rigorosos em 2002. Em março desse ano o desemprego era de 12,9%.

Apesar da forte redução em comparação com março do ano passado, quando o país ainda vivia os reflexos da crise econômica global, a taxa de desemprego subiu ligeiramente em comparação com a de fevereiro deste ano (7,4%) e prosseguiu a tendência de aumento que mantém desde dezembro do ano passado (6,8%).

O número de desempregados nas seis maiores regiões metropolitanas do Brasil, nas quais é medido o índice nacional, caiu 14,1% no último ano, passando de 2,08 milhões em março do ano passado para 1,79 milhões em março deste ano.

No entanto, o número de desempregados em março superou ligeiramente o de fevereiro (1,72 milhões).

Por sua vez, o número de pessoas com emprego nas mesmas seis cidades passou de 20,95 milhões em março do ano passado para 21,75 milhões em março deste ano. O número de empregados, igualmente, superou o de fevereiro deste ano (21,67 milhões).

Segundo o Instituto, o Brasil, após superar a crise global e retomar seu crescimento, gerou nos últimos 12 meses um total de 796 mil novos postos de trabalho.

O organismo informou igualmente que o salário médio dos trabalhadores em março passado era de 1.413,40 reais, com um crescimento de 1,5% frente no mesmo mês do ano passado e de 0,4% em comparação com o de fevereiro.

A taxa oficial de desemprego no Brasil indica o número de pessoas que procuram trabalho nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador e Recife, as maiores cidades do país.

O índice oficial considera como empregados às pessoas já absorvidas pelo setor informal, no qual estão quase 50% dos trabalhadores brasileiros.