Dersa culpa Copa e Lava Jato por atrasos em obras

A estatal já adiou a data de entrega dos empreendimentos em até 16 meses

São Paulo — Responsável pelas principais obras viárias paulistas, a Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa) culpou a Copa do Mundo de 2014 e a Operação Lava Jato, da Polícia Federal, pelos atrasos na construção do Trecho Norte do Rodoanel, na Grande São Paulo, e da Nova Tamoios Contornos, no litoral norte.

A estatal do governo Geraldo Alckmin (PSDB) já adiou a data de entrega dos empreendimentos em até 16 meses.

Em seu relatório de administração de 2014, divulgado no fim de abril, a Dersa informa que a “queda na produtividade da construção civil, observada ao longo de junho e julho, decorrente dos feriados e reduções de jornada motivadas pela Copa do Mundo, trouxeram impacto negativo sobre o avanço dos empreendimentos, em especial o Rodoanel Norte e a Nova Tamoios Contornos”.

Juntas, as obras custam R$ 5,2 bilhões.

Ainda segundo a estatal, a partir do segundo semestre, os empreendimentos sofreram com a “descapitalização de construtoras, resultado dos desdobramentos da Operação Lava Jato”, citando a investigação que já resultou na prisão e na abertura de inquérito contra diretores de cinco empreiteiras responsáveis pelas obras paulistas.

No mês passado, o presidente da Dersa, Laurence Casagrande, disse que as obras do Rodoanel estão em ritmo lento, e o atraso pode fazer com que o governo Alckmin cancele o contrato com as empreiteiras.

A entrega do Trecho Norte havia sido prometida pelo tucano para fevereiro de 2016, mas agora a previsão é junho de 2017.

Já no caso da Tamoios, a conclusão da ampliação de 37 km na região do litoral norte já foi adiada de junho de 2017 para março de 2018 pela Dersa.

Em nota, a Dersa afirma que “as informações dizem respeito ao exercício 2014” e “as reduções de jornada e feriados determinados em função da Copa do Mundo representaram impactos sobre o resultado da companhia naquele exercício”.

Depois disso, a Dersa afirma trabalhar com seus contratados no sentido de eliminar ou reduzir esse efeito ao longo dos exercícios atual e futuros.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.