Depósitos de mais de €100 mil podem sofrer confisco de 40%

Os poupadores que tenham menos do que esta quantia "não se verão afetados" pela medida, confirmou o ministro das Finanças do Chipre

Londres – O ministro das Finanças do Chipre, Michalis Sarris, confirmou nesta terça-feira à emissora pública britânica “BBC” que a taxação aplicada sobre os depósitos superiores aos 100.000 euros no país poderia ser de 40%.

Em entrevista concedida ao canal, Sarris disse que os poupadores que tenham menos do que esta quantia “não se verão afetados” pela medida.

“A porcentagem exata ainda não se decidiu mas será significativa”, adiantou. O número final dependerá de como o governo do Chipre decidir proteger a previdência.

Sarris também reafirmou a decisão de manter os bancos cipriotas fechados até quinta-feira e explicou que o governo estabeleceu um controle temporário sobre os movimentos de capital para evitar uma fuga em massa de dinheiro ao exterior quando as agências voltarem a funcionar.

Segundo o ministro, essas restrições serão “provavelmente um pouco mais rígidas” no caso dos dois principais bancos do país, o Banco do Chipre e o Laiki Bank, e continuarão em vigor até o sistema bancário “se estabilizar”.

Assim que começarem a chegar os fundos do resgate da União Europeia (UE), em “questão de semanas” a confiança no país retornará, garantiu o ministro.

Os bancos do Chipre estão fechados desde 16 de março os cidadãos só podem sacar dinheiro em caixas eletrônicos com limitações no valor da retirada.