Crescimento econômico da China pode perder força, diz Fed

Desaceleração ocorreria devido a um declínio da produtividade e ao envelhecimento da população, de acordo com estudo do Federal Reserve

Washington – O crescimento econômico da China enfrenta correntes contrárias cada vez mais intensas e pode perder força de forma dramática nos próximos anos devido a um declínio da produtividade e ao envelhecimento da população, de acordo com estudo do Federal Reserve, banco central norte-americano.

A tendência de crescimento pode diminuir gradativamente para cerca de 6,5 % em 2030, ou poderia cair de forma muito mais acentuada para um ritmo inferior a 1 %, se as forças que pesam sobre a atividade econômica atuarem de forma conjunta em um “pior cenário possível”, segundo o estudo, publicado na segunda-feira na internet.

Ao longo da última década, a economia chinesa cresceu cerca de 10 % ao ano em média.

“A taxa de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) é a soma do crescimento do emprego e do crescimento da produção por empregado. A China enfrenta desafios em ambas as categorias”, afirmou a autora Jane Haltmaier, conselheira sênior da divisão de Finanças Internacionais do Fed.